Portal da Cidade Mariana

Dia dos animais

“Lutar pelos que não falam,mas sentem”:Conheça o Instituto de Defesa dos Animais

A ONG IDDA desde 2013 luta pelos direitos dos animais em Mariana e Ouro Preto

Postado em 14/03/2019 às 11:24 |

(Foto: ONG IDDA)

A luta pela vida dos animais tem ganhado mais força e visibilidade atualmente e os maus tratos, o abandono e a omissão quanto estes problemas tem sido cada vez mais refutados pelas pessoas. Em Mariana, a ONG IDDA – Instituto de Defesa dos Direitos dos Animais Fundada em 2013, é uma referência em trabalhos ligados ao bem-estar animal. A organização não governamental que atua nas cidades de Mariana e Ouro Preto nasceu através da união de protetores independentes que somam forças para minimizar os problemas relativos às causas animais.

A ONG é composta apenas por voluntários que doam tempo, amor e trabalho para que a ação continue. A IDDA não recebe nenhum tipo de auxilio direto. Os veterinários parceiros que atendem os animais resgatados não são gratuitos, e para arrecadação de verba a os voluntários fazem rifas, bazares e apadrinhamentos de animais.

Os protetores de animais da ONG ainda abrem suas casas como lar temporário para cerca de 60 animais que ainda não foram adotados definitivamente, pois a organização não tem um abrigo próprio para estes cães e gatos.



(Foto: ONG IDDA)

Há mais de 5 anos trabalhando com o cuidado dos animais o foco da organização é “Lutar pelos que não falam, mas sentem”, afirma Luciana Salles, Presidente da IDDA. Durante toda a existência da ONG o número de animais adotados ultrapassa 800, e de acordo com Luciana, é impossível mensurar a quantidade de animais já resgatados. A castração, que é um dos outros serviços oferecidos pelo Instituto já passa de dois mil.

Os trabalhos dos voluntários já resultaram em grandes ações, tanto em Mariana quanto em Ouro Preto, entre elas, houve a Municipalização do serviço de recolhimento e cuidado dos animais, a formação do Conselho de Proteção e Defesa dos Animais de Mariana e Controle populacional de animais de rua através Mutirões de castração em Mariana e Ouro Preto.

A ONG gerencia o projeto Adoção Responsável, que já resgatou das ruas e dos maus-tratos recebidos, animais muitas vezes machucados, doentes e debilitados. O projeto se dá a partir do resgate dos animais, do seu acompanhamento veterinário quando necessário. O animal depois de resgatado, reabilitado, vacinado e castrado, é levado para um dos lares temporários e divulgado em redes sociais como Facebook e Instagram. Os animais também são levados para eventos de adoção onde quase sempre encontram um novo lar para viver.

Entre os projetos que os protetores de animais já realizaram e continuam trabalhando para seu mantimento, estão os de comedouros e bebedores comunitários espalhados pela cidade para os animais que continuam morando nas ruas e o registro de animais comunitários, que são cães e gatos vacinados, castrados, vermifugados e que continuam nas ruas, porém são acompanhados pela comunidade e por um guardião que se responsabiliza pelo animal.

De acordo com a Presidente do Instituto “só através da conscientização nós iremos conseguir mudar de fato a visão do planeta [quanto à causa animal].” Para isso, a ONG iniciou um projeto de educação humanitária e ambiental para conscientização e sensibilização nas escolas, pois os jovens e crianças são o futuro da nossa sociedade.

CASTRAMÓVEL



(Foto: ONG IDDA)

O castramóvel é um projeto da ONG Ajuda, de Juiz de Fora (MG), que leva pra cidades do estado de forma acessível a castração de animais de ruas abandonados em comunidades carentes. Juntamente com a IDDA, a ONG Ajuda trouxe para Mariana e Ouro Preto esse serviço que beneficia tanto os animais quanto a população em geral.

A Secretaria de Saúde de Mariana também irá implantar um castramóvel na cidade em conjunto com o Instituto da região. “Será a realização de um sonho e de uma meta para o município.”, afirma Luciana Salles, Presidente da IDDA.

Durante as vindas do castramóvel da ONG Ajuda nas cidades da região houve a castração de mais de 800 animais, o que refletiu diretamente no controle populacional de animais de rua na região e na diminuição do risco de zoonoses.


Fonte:

Deixe seu comentário