Portal da Cidade Mariana

CRÔNICA

Agosto, mês de desgosto?

Andreia Donadon Leal - Mestre em Literatura pela UFV

Postado em 09/08/2019 às 11:39 |

Agosto traz desgosto é dito popular alcunhado em rima com sua variante sinonímica. Os romanos substantivaram o adjetivo desgosto, em referência ao Imperador Augusto, para designar o oitavo mês. A crença em relação ao mau agouro deste mês permanece, talvez, devido a alguns eventos ocorridos na história da civilização. Dia 24 de agosto, por exemplo, comemora-se o martírio do apóstolo São Bartolomeu, devido às conversões ao cristianismo, que ele promoveu na Armênia em 51 d.C. E, ainda, no mês de agosto, Jesus passou as chaves do céu e do inferno para Pedro. Em Portugal, as mulheres têm como tradição não se casarem neste mês, pois Casar em Agosto traz desgosto. Não se trata nem só de rima, nem de mera solução, de mês carregado de presságios do imaginário popular.

Temos desgostos todos os meses do ano, sejam pequenos, médios ou grandes, e isso é fato e não crendice. Agosto abriga sóis empalidecidos nas manhãs frias e sopro do vento à tarde. O calendário já ultrapassou a metade do ano. Não estamos nem no meio e no fim do ano, mas avançando na sua segunda metade.

Não sou adepta às crendices em relação ao mês de agosto, porque o que tiver que acontecer acontecerá, independente se agosto, outubro, novembro, dezembro, etc.. O que me chama a atenção é a comemoração do Dia dos Pais, no 2° domingo do oitavo mês do ano. Filhos que não moram mais com seus pais viajam para o tradicional almoço desse aguardado domingo. Dependendo da distância, muitos festejam o tradicional dia no sábado mesmo, pois domingo é dia de retornar para outra cidade ou estado, para trabalhar na segunda-feira. Penso que as comemorações do Dia dos Pais e do Dia das Mães deveriam cair na 2ª segunda-feira de maio e de agosto. Não é malandragem de brasileiro que adora feriados. – Quem não gosta? (?). É o significado destas datas, para o encontro com a família e para o fortalecimento dos laços de afetividade, de união, do amor. Datas que poderiam prolongar o encontro, pois essas datas têm mais importância do que outras consagradas e monumentalizadas pelo homem no calendário.

E a alcunha Casar em agosto traz desgosto; ou a gosto de Deus, para a indefinição de um acontecimento ou evento importante, é excelente solução, rima e desculpa esfarrapada, para quem não quer formar compromisso ou realizar projetos.


Fonte:

Deixe seu comentário