Portal da Cidade Mariana

Patrimônio

Igreja abandonada sofre risco de desabar

Interditada há quase 4 anos, Matriz de São Bartolomeu, no distrito homônimo de Ouro Preto, mostra sinais de degradação

Publicado em 28/12/2022 às 13:39

A parte de dentro da Igreja São Bartolomeu (Foto: foto: SÉRGIO MURILO DE OLIVEIRA/ADECOSB/DIVULGAÇÃO))

Os moradores do histórico distrito de São Bartolomeu, em Ouro Preto, na Região Central de Minas, veem chegar mais um fim de ano sem as esperadas obras de restauração da matriz dedicada ao padroeiro local. Interditado há quase quatro anos, o templo do século 18 está coberto por uma lona, o que o protege da chuva, mas não resolve seus graves problemas. “Outro Natal sem nossa igreja aberta”, lamenta Sérgio Murilo de Oliveira, presidente da Associação de Desenvolvimento Comunitário de São Bartolomeu (Adecosb).


“Igreja fechada, sem uso e com lona por cima resulta em quê? Mofo, né? E, mais adiante, a destruição”, Sérgio pergunta e responde, com preocupação. Numa manhã chuvosa deste mês, ele fez fotos da Igreja São Bartolomeu e disse que, com o passar do tempo, a lona pode furar, vazar, e, consequentemente, causar infiltrações. “Todas as imagens sacras já foram retiradas por questão de segurança. Estamos participando das missas em outra igreja”, explicou.

Tombado em 1960 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e interditado desde fevereiro de 2019 devido a riscos à segurança, o monumento barroco foi coberto com a lona branca pela prefeitura, e já tem prontas, segundo o presidente da associação, as planilhas de custo. “A Prefeitura de Ouro Preto vem fazendo sua parte, tem nos apoiado muito. Precisamos, agora, é de uma decisão do Iphan”, afirma Sérgio.

A imponência da fachada da Igreja São Bartolomeu contrasta com as imagens de degradação do interior do templo. Lona sobre o telhado tenta evitar mais estragos ao templo

MOBILIZAÇÃO

Em 23 de abril, durante o Festival Cultural da Goiabada de São Bartolomeu, os moradores fizeram uma manifestação diante do templo para cobrar das autoridades federais a urgência da obra. Usando camisas feitas especialmente para a ocasião, com palavra Socorro, os defensores do patrimônio pediram providências à direção do Iphan, vinculado à Secretaria Especial de Cultura/Ministério do Turismo, para a busca de recursos e posterior intervenção. Conforme os estudos, a obra está estimada em R$ 6,5 milhões.

Em nota, o escritório técnico do Iphan em Ouro Preto informa que vem acompanhando, constantemente, a evolução dos fatores de degradação da Igreja Matriz de São Bartolomeu. “Por esse motivo, a restauração do bem foi incluída no Programa de Preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro, Ação de nº 220, consórcio firmado entre o Iphan e a Prefeitura Municipal de Ouro Preto, o que prevê a restauração integral do monumento, sanando definitivamente todos os danos identificados.”

O escritório técnico esclarece que considera “imperiosa” a realização de obras emergenciais para garantir a estabilidade do bem, abrangendo ações criteriosas e sistemáticas de conservação e restauração.

Fonte:

Receba as notícias de Mariana no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário