Portal da Cidade Mariana

Comemoração

Dia do Nutricionista: Um papo do Portal da Cidade sobre o "Chazinho da vovó"

O "Chazinho da vovó" agora está sendo estudado pela ciência e a nutricionista Daniela Pala, nos conta um pouco mais sobre esse campo de estudo.

Postado em 31/08/2018 às 10:02 |

(Foto: Google Imagens)

(Foto: Comunicação nutricionista Daniela Pala)

Graduada, mestra e doutora pela Universidade Federal de Ouro Preto, Daniela Pala carrega uma paixão pela nutrição e pelos hábitos alimentares saudáveis. Acredita que dessa forma podemos prevenir inúmeras doenças e controlar outras que, eventualmente, possam estar instaladas. Hoje, Dia do Nutricionista, Daniela conta um pouco para o Portal da Cidade sobre ter escolhido essa área tão importante para nossas vidas e nos ensina um pouco sobre uma de suas linhas de estudo: A Fitoterapia. Conhecido desde antigamente como "chazinho da vovó", a fitoterapia é hoje um campo de estudo importantíssimo na ciência e uma alternativa a pessoas que desejam viver uma vida mais saudável.


1- O que te motivou a escolher a nutrição?

Quando fui realizar minha primeira palestra, assim que conclui a graduação, ao me apresentar tive que pensar sobre isso e cheguei à conclusão que minha paixão pela nutrição surgiu precocemente, até mesmo antes de eu saber o que realmente era a nutrição de fato. Me lembro de ficar ao redor na mesa, quando ainda tinha que ficar nas pontinhas dos pés, com os olhinhos brilhando ao ver minhas avós, italianas, fazendo massas (macarrão, nhoque, capeletti) aos domingos. Mas, meus pais adoram contar que uma vez no carrinho de bebê, na fase tão importante da introdução alimentar (Em que as crianças adaptam o paladar e começam a formar os hábitos alimentares), eu pedi caqui e comi de me deliciar, mas não contentei com um, dois ou três, comi mais que cinco frutas (risos).

Já na adolescência, envolvida com os esportes, natação, ballet, dança e corrida, vendo e acompanhando uma preocupação crescente de amigas, familiares e em todas as mídias com o peso e padrão corporal, até aí de uma forma menos agressiva do que é hoje, já via a alimentação como algo tão importante no dia-a-dia e para a saúde, decidi estudar nutrição na faculdade, e há oito anos não parei mais!

Hoje, conhecendo e atuando nas diversas áreas da profissão: consultório, área acadêmica, pesquisa e produção de alimentos, vejo a nutrição como ferramenta de mudança social, podemos mudar não só a vida das pessoas modificando seus hábitos alimentares, mas também podemos mudar, de maneira significativa o ambiente ao nosso redor com a alimentação saudável e de qualidade. Me sinto realizada com a profissão que escolhi e a cada dia me motiva mais saber, que sendo nutricionista posso auxiliar as pessoas a terem uma vida mais saudável , prevenindo doenças e buscando mais qualidade de vida.

 

2-      Em que tipo de situação o acompanhamento nutricional é aconselhável?

Em todas! Da criança ao idoso, do saudável ao enfermo, do magro ao paciente com excesso de peso, em todas essas situações a nutrição, quando bem orientada, traz resultados satisfatórios, do curto ao longo prazo.  Não é a toa que podemos prevenir 70% das doenças, modificando fatores de risco ambientais como o sedentarismo, a obesidade, o consumo excessivo de sal e a ingestão insuficiente de frutas e verduras. Modificando esses fatores precocemente, prevenimos varias doenças como as do coração, diabetes, obesidade, colesterol alto, câncer entre outros, mas quando já instalada em idades mais adultas, conseguimos através do aconselhamento dietético melhorar a qualidade de vida desse paciente e controlar a evolução e agravo de algumas doenças como a pressão alta e o diabetes. A informação hoje está ao alcance de todos, mas devemos tomar cuidado, pois muitas coisas na internet não são confiáveis, é necessário buscar uma ajuda profissional.

3-      Você é graduada, mestra e doutora em nutrição, mas agora está fazendo também uma especialização em fitoterapia. A fitoterapia é uma área ainda pouco conhecida para a maioria das pessoas, você pode falar um pouco sobre ela?

E agora estou realizando o pós-doutorado em Nutrição!

A fitoterapia (do grego therapeia = tratamento e phyton = vegetal) é o estudo das plantas medicinais e suas aplicações nas doenças. Meu interesse surgiu como mais uma ferramenta para a abordagem individualizada do paciente, como forma de prevenção e controle de alguns sintomas.  É o famoso “chazinho da vovó” saindo do fundo do quintal e sendo estudado cientificamente e, quando orientado seu uso de forma segura vem mostrando resultados fantásticos.

Hoje, a Anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) tem 66 fitoterápicos regulamentados Por exemplo,  o uso do chá de canela é indicado para problemas gastrointestinais e para controle do açúcar no sangue em diabetes. Dessa forma, podemos controlar alguns sintomas com remédios mais naturais. Lembrando sempre, que para prescrições individuais, um profissional deve ser consultado.

 

4-      Quais são os diagnósticos mais comuns de pessoas que procuram a fitoterapia?

A grande maioria não conhece e assim não procura a fitoterapia! A fitoterapia é que é apresentada como alternativa para os sintomas. Os diagnósticos mais comuns são doenças gastrointestinais (azia, má digestão, gazes), insônia, ansiedade, cansaço, fadiga mental, aumento de açúcar no sangue (pré-diabetes), excesso de peso, compulsão por doce e aumento nos níveis de gordura no sangue/fígado, entre outros.

 

5-      De que forma ela contribui para o tratamento de doenças e reposição nutricional?

A fitoterapia pode amenizar alguns sintomas das doenças quando associadas a outras mudanças de hábitos de vida, como alimentação saudável e prática de atividades físicas. Infelizmente, sozinha a fitoterapia não é a fórmula “milagrosa”!

Fonte:

Deixe seu comentário